Para trabalhar bem é preciso parar

Dificilmente conseguimos ser produtivos se não fizermos pausas regulares, mesmo que sejam curtas. Mais horas seguidas a trabalhar, não significa de todo produzir mais nem melhor.

Em muitas empresas, é comum a ideia de que o funcionário produtivo é aquele que trabalha sem parar horas a fio, muitas vezes almoçando uma sandes à secretária e sem fazer sequer uma pequena pausa para um café ou dois dedos de conversa com um colega.

Quando somos confrontados com uma semana cheia de trabalho e prazos apertados que é necessário assegurar, temos tendência a só querer parar quando garantimos o fim do projeto que temos em mãos, mesmo que isso implique não sair da frente do ecrã durante horas.

Por outro lado, no mundo laboral dos dias de hoje, passamos uma parte significativa do tempo com a nossa atenção focada no trabalho, sentindo-nos na obrigação de responder a emails a qualquer hora, seja na fila do supermercado, à mesa de jantar ou mesmo durante as férias em família. Trabalhamos mesmo quando já não estamos no local físico do emprego e acabamos por ter dificuldade em desligar verdadeiramente.

“Estar permanentemente ocupado funciona como uma espécie de segurança existencial, uma proteção contra a sensação de vazio”, escreve o ensaísta Tim Kreider na coluna que assina no The New York Times. E acrescenta que temos a ideia de que “a nossa vida não pode de maneira nenhuma ser fútil, trivial ou sem sentido se estivermos permanentemente ocupados e com cada hora do nosso dia preenchida”. Contudo, como refere, por mais paradoxal que possa parecer, precisamos de tempo para refletir e de nos forçar a “dar tréguas ao cérebro” de forma a nos mantermos alerta, motivados e com curiosidade pela vida.

Dificilmente conseguimos ser produtivos se não fizermos pausas regulares, mesmo que sejam curtas. Mais horas seguidas a trabalhar, não significa de todo produzir mais nem melhor. De facto, são muitas as pesquisas que comprovam que o cérebro precisa de quebras regulares para se manter focado e capaz de gerar ideias criativas. Sair 5 minutos para apanhar ar, olhar a natureza pela janela, conversar um pouco com o colega do lado, tirar a hora de almoço completa – se possível num ambiente descontraído e entre amigos -, meditar ou ouvir a sua música preferida, são rotinas que devem fazer parte do seu dia a dia de trabalho. Ao longo do ano, pelo menos um período de férias “desligado” (sem responder a quaisquer solicitações de trabalho) é fundamental. O fim de semana serve de igual modo para recarregar baterias. Dormir, passear, apanhar sol, ter contato com a natureza, ver filmes ou simplesmente conviver com as pessoas de quem mais gostamos, anima-nos, motiva-nos e dá-nos a energia de que precisamos para começar mais uma semana de trabalho.

 

Precisamos de tempo para refletir e de nos forçar a “dar tréguas ao cérebro” de forma a nos mantermos produtivos, motivados e com curiosidade pela vida.

 

O segredo para ser mais produtivo não é trabalhar mais, mas sim, de forma mais inteligente e com intervalos regulares.

 

Saiba por que motivo as pausas regulares no trabalho o tornam mais produtivo:

 

Aumentam a concentração

Quando estamos há muito tempo de volta de uma tarefa, começamos a deixar fugir o foco e facilmente perdemos o fio à meada. Parar uns minutos ajuda-nos a recuperar a concentração, deixando-nos mais despertos. Por vezes, basta uma pequena pausa para recomeçarmos o trabalho de forma muito mais rápida, simplesmente porque estamos mais concentrados.

 

Melhoram a criatividade

Quando se está cansado, é muito difícil ter ideias novas e criativas. Manter a mente descontraída é fundamental para a criatividade fluir. Além disso, às vezes basta parar um pouco para ser capaz de encarar o problema que temos em mãos numa perspetiva totalmente diferente, ou seja… de forma criativa.

 

Ajudam no planeamento

Saber que a uma determinada hora vai parar durante alguns minutos, obriga-o a aumentar a sua concentração com o objetivo de progredir naquilo que está a fazer até essa hora. Esse desafio pode funcionar como uma motivação, mantendo-o ativo e focado no que está a fazer.

 

Aliviam o stress

Quando tem um problema que o deixa com os nervos em franja, o melhor que tem a fazer é parar. Uma quebra ajuda a colocar as coisas em perspetiva, prevenindo decisões precipitadas.

Outra coisa boa nas pausas é que trazem benefícios para todos. São boas para os colaboradores, que descansam a mente e recuperam a inspiração. E são benéficas para as empresas, que têm uma maior garantia de que as tarefas serão executadas com maior foco e dedicação. É, por isso, importante fazer pausas positivas no local de trabalho e a empresa deve ter mecanismos e ferramentas que promovam essa prática de forma produtiva.

 

Algumas formas de fazer pausas de forma saudável e produtiva, envolvendo também a empresa:

  • Não tenha a garrafa de água na secretária e obrigue-se a ir até à copa beber água. É uma forma de se levantar com regularidade. É importante que as empresas disponibilizem espaços para refeições ou zonas para beber café e água.
  • Não escreva, pergunte diretamente. O chat é uma ótima forma de poupar tempo, mas não deve ser a única forma de comunicar! Não utilize sempre o mail ou o chat para falar com os colegas que estão noutras salas. Levante-se de vez em quando e pergunte diretamente.
  • Quando vai à casa de banho, espreguice-se, garantindo que estica todo o corpo. Vai ajudá-lo a que se sinta mais acordado e descontraído.
  • Faça uma curta pausa a meio da manhã e da tarde para um lanche rápido, preferencialmente 90 minutos após um período de grande foco e produtividade. Se estiver muito ocupado, aproveite para pôr qualquer assunto em dia com um colega enquanto bebem café.

 

Veja também…