Leadership @ Home: como lideramos equipas em trabalho remoto

Criámos uma minissérie no nosso IGTV sobre a adaptação da liderança de equipas em trabalho remoto. Descobre aqui os principais insights.

Quando preparámos o ciclo estratégico de 2020, não imaginávamos que o primeiro semestre do ano seria marcado por um período de quarentena mundial, perante uma situação de pandemia de SARS-Covid19.

Acabámos por viver momentos incríveis com as nossas equipas de todo o mundo, onde tentámos ao máximo apoiar os nossos colaboradores e ajudá-los a viver toda a situação com a maior tranquilidade possível. Acreditamos inclusive que saímos deste período de quarentena com a nossa cultura empresarial reforçada, e isso deixa-nos muito orgulhosos.

Tivemos de abraçar o trabalho remoto, e a forma como lideramos as nossas equipas teve um impacto fundamental em todo o processo de adaptação. Perguntámos então, a alguns dos líderes PHC, como foi liderar equipas através de casa, e quais as maiores lições de liderança deste período de quarentena.

1. Priorizar a comunicação entre a equipa

Na PHC, sempre tivemos momentos de partilha entre os líderes e os membros das suas equipas. Temos nas nossas agendas momentos semanais dedicados à partilha one-to-one e uma reunião mensal de alinhamento dentro de cada unidade. Com o início da quarentena, as equipas começaram a ter também daily meetings, para permitir que todos os colaboradores começávam os seus dias sintonizados com a equipa, e com um momento de descontração que, habitualmente, teriam ao chegar ao escritório ou ao beber em conjunto o café da manhã.

Alguns dos nossos líderes contam-nos que esta reunião se dava logo de manhã, sempre à mesma hora. Outros, porém, preferiam tê-la ao final do dia. Era nestes momentos que partilhavam entre todos as suas tarefas do dia, articulavam em equipa algum trabalho que tivessem em conjunto e, de forma mais informal, se ouviam mutuamente, mantendo-se unidos. A maior dificuldade, contaram-nos, “(…) foi ultrapassar a barreira psicológica de não saber quando nos iamos ver todos novamente.”

Ao viver uma situação complementamente fora do habitual, onde existe alguma propensão para as pessoas se sentirem mais ansiosas ou desgastadas, foi fundamental entender e ouvir cada colaborador, procurando que este se sentisse, ao máximo, apoiado.

2. Dar feedback e alinhar expectativas

Mesmo trabalhando presencialmente, gerir expectativas pode sempre ser um dos maiores desafios quando se trabalha em equipa. Quando, de repente, o trabalho remoto ganhou destaque, foi fundamental para os líderes instituir uma cultura de feedback – pois nem sempre é fácil dar o acompanhamento tão direto que era dado quando se trabalhava presencialmente.

“Tive de aprender a confiar na minha equipa, como nunca antes. Tinha, inadvertidamente, um receio de que como não os estava a ver a desenvolver, o trabalho podia não aparecer feito. Como estava enganado…” Para que as equipas se sentissem orientadas, e compreendessem também as expectativas dos seus líderes, as reuniões de alinhamento são fundamentais. Para além disso, alguns hábitos podem ajudar neste processo: como entregar a todos documentos de pre-read antes de cada reunião e fazer um apanhado de todos os assuntos falados na mesma.

Acima de tudo, importa compreender que as pessoas têm o mesmo valor, a mesma competência e a mesma vontade de contribuir para o sucesso das equipas e da empresa que tinham quando trabalhavam presencialmente. Entendendo isso, basta ajudar as equipas a manterem-se focadas em prol de um objetivo comum.

3. Ser transparente e flexível

Desde sempre que, na PHC, defendemos uma filosofia “TRUE YOU”. Queremos que os nossos colaboradores sejam fiéis a si mesmos, expressem as suas opiniões e sintam sempre que são parte integrante e fundamental dos processos da empresa. No entanto, talvez esta filosofia nunca tenha feito tanto sentido como na quarentena.

Os receios, os filhos, as preocupações e os animais de estimação. Todos fizeram parte da quarentena e todos estiveram bem presentes neste momento. “Entrámos pela casa de cada um dos membros das nossas equipas, mesmo que sem querer. (…) conhecemos rotinas, nomes de familiares e de cães, tivemos de compreender os dias menos bons, e celebrar juntos cada vitória.”

Muitos colaboradores adaptaram os seus horários para poderem acompanhar os filhos nos trabalhos de casa, outros simplesmente porque preferiam o sossego de trabalhar mais cedo. Ficou ao cargo dos nossos líderes ouvir a realidade de cada um, e ajudar no processo de adaptação a esta nova realidade.

Porém, ao termos sucesso nesta adaptação, compreendemos que afinal trabalhar remotamente está ao alcance de todos, desde que saibamos gerir as várias vertentes da nossa vida. A articulação com os líderes é aqui fundamental para que tudo corra pelo melhor. Cumprindo as nossas tarefas e objetivos, é possível encontrarmos a forma mais equilibrada de trabalharmos.

Por isso, nas palavras da nossa Chief Management Officer: “Aproveitem o remote… veio para ficar.”

Printscreen leadership@home líderes da phc em trabalho em remoto

Todos os insights deste artigo foram recolhidos durante os três episódios de uma minissérie de talks que divulgámos no nosso IGTV, no instagram na PHC: @lifeatphcsoftware.

Nesta, contámos com 6 dos nossos líderes da PHC, a quem agradecemos muito o testemunho dado:

  • Rui Passinhas, Regional Sales Manager
  • Carlos Martins, PHC CS Development Manager
  • Rute Ablum, Chief Management Officer
  • Francisco Caselli, Performance Analytics Unit Director
  • Luís Antunes, Human Resources Unit Director
  • Miguel Bilimória, Development Unit Director