Como usar as entrevistas de saída para melhorar a sua empresa

São muitas as empresas que por não conhecerem o potencial das entrevistas de saída, perdem uma excelente oportunidade de aprender, crescer e ir ao encontro das necessidades dos seus colaboradores.

 

Num cenário de crescente competição pelo melhor talento, as organizações investem um grande esforço em aumentar a sua atratividade e em tudo o que diz respeito ao processo de recrutamento, deixando muitas vezes a gestão do processo de saída – do qual as entrevistas de saída fazem parte – para segundo plano.

Contudo, a relação da empresa com o colaborador não termina no momento em que este entrega a sua carta de demissão e, entre outras etapas importantes no processo de saída, a entrevista é um passo fundamental para que a empresa conheça os pontos que podem ser melhorados e atue preventivamente de forma a conseguir reter o seu melhor talento.

Na PHC, esta entrevista é fundamental e merece-nos toda a atenção. Baseada num inquérito previamente preenchido pelo colaborador que está em processo de saída, constitui um momento informal, através do qual, procuramos recolher o máximo de informações sobre o que motivou a saída do colaborador e perceber como podemos melhorar de forma a alinharmos a nossa cultura, benefícios e processos às expetativas dos colaboradores. Mais do que uma formalidade processual, consideramos que é uma oportunidade para olharmos para nós próprios, consolidando o que fazemos bem e investindo nas áreas em que ainda podemos melhorar.

 

No âmbito do seu processo de gestão de saídas, a PHC enquadra aS entrevistaS de saída tendo em conta cinco objetivos:

 

Reconhecer a visão do colaborador

As informações que o colaborador fornece sobre cultura organizacional, comunicação, relacionamento entre pares e os vários departamentos, podem ajudar a empresa a melhorar o ambiente de trabalho, a gestão e os seus processos. Para além disso, ouvir o colaborador contribui para que este se sinta valorizado e é uma ótima forma de terminar a relação laboral.

É importante realmente ouvir o que o colaborador tem a dizer e não adotar uma atitude defensiva, mesmo que seja difícil ouvir a opinião do colaborador ou que não concorde com o que está a ser dito. Este é o momento para ouvir, analisar e aprender, para no final abraçar o grande desafio de trabalhar toda a informação recolhida em prol da empresa.

 

Melhorar a liderança

Sabemos que o líder tem um papel central na motivação e desempenho das equipas e que uma das razões mais frequentemente apontadas pelos colaboradores para saírem de uma empresa, é a relação com a chefia direta. Esta é uma questão delicada e enquanto estão vinculados à empresa, nem sempre os colaborares se sentem à vontade para abordá-la com os Recursos Humanos, pelo que a entrevista de saída pode ser uma grande oportunidade para a empresa tomar conhecimento das razões de qualquer insatisfação relacionada com os líderes. Com base na informação fornecida pelos colaboradores, a empresa pode planear uma estratégia de desenvolvimento para o líder ou mesmo enquadrar esse profissional noutra função, substituindo-o no cargo de liderança por outro profissional com caraterísticas mais adequadas à função de liderança.

 

Conhecer melhor o mercado e os benefícios de empresas concorrentes

Quando o colaborador sai de uma empresa para um concorrente, é porque aceitou um conjunto de condições oferecidas pela nova empresa. Por isso, aproveitamos esta entrevista para perceber quais os benefícios em termos de salário, seguro de saúde, horário e outras regalias, que podem ter feito toda a diferença para o colaborador na altura de escolher o seu caminho profissional. Esta é uma oportunidade para avaliarmos regularmente se somos uma empresa competitiva e atrativa para os talentos que queremos recrutar ou reter na empresa.

 

Incentivar a inovação através das ideias dos colaboradores

Na PHC, procuramos que esta entrevista vá para além da experiência direta do colaborador no âmbito da sua função, e que se foque também em áreas mais abrangentes, como o marketing, a estratégia comercial, os processos, a estrutura hierárquica, a cultura de empresa ou a concorrência. Todos temos opiniões relevantes sobre áreas que não aquelas em que trabalhamos diretamente. Perceber a visão única de cada colaborador sobre aspetos estruturais pode abrir um espaço para o questionamento e para uma inovação capaz de trazer um enorme valor para a empresa. E se o fazemos enquanto os colaboradores estão na empresa, não o deixamos de fazer no momento da sua saída.

 

Identificar possíveis melhorias do âmbito do departamento de Recursos Humanos

Ouvir os colaboradores sobre possíveis falhas no relacionamento com a empresa – e sobre o que poderá ser feito para resolver esses problemas – é ter acesso, em primeira mão, a informação preciosa para quem gere capital humano e procura constantemente trabalhar o relacionamento entre a empresa e os seus colaboradores. Queremos saber se o colaborador se identifica com os valores da empresa, vive a sua cultura, se sente valorizado pela empresa enquanto pessoa e no desempenho da sua função. Este feedback permite-nos delinear estratégias para que os colaboradores sintam que na PHC existe um departamento realmente focado no desenvolvimento profissional e pessoal de todos os que trabalham na empresa.

 

As entrevistas de saída são uma oportunidade para obter informação sobre as boas práticas da empresa e, sobretudo, sobre o que pode ser melhorado. Quando enquadrada em objetivos bem definidos, oferece uma fonte de informação preciosa para que a empresa olhe para si mesma e continue a crescer de forma sustentada.

 

Veja também…