Dinâmica de grupo: porque a levamos tão a sério no processo de recrutamento da PHC?

A dinâmica de grupo – também conhecida por entrevista de grupo – é uma fase do processo de recrutamento que tem vindo a ganhar terreno nos últimos anos, sobretudo porque possibilita aos recrutadores traçar os perfis dos diversos candidatos, permitindo perceber de forma muito prática, de que forma agem no contexto de trabalho em equipa.

Os recrutadores avaliam o comportamento dos candidatos face a situações hipotéticas às quais o profissional estará sujeito no seu dia a dia na empresa ou outras completamente fora da realidade da empresa. Contudo, as competências avaliadas são específicas de cada processo seletivo e diferem de acordo com a função que originou o recrutamento.

Na PHC os processos de recrutamento passam, na sua grande maioria, por uma fase de dinâmica em grupo. Para nós, é fundamental observar o modo como um potencial colaborador se comporta de forma a conseguirmos perceber se tem o “PHC DNA”, ou seja, se partilha aqueles que são para nós os valores fundamentais para se juntar à empresa. Acreditamos que as competências técnicas podem ser aprendidas, mas que há traços comportamentais que são estruturais e que fazem toda a diferença no sucesso da integração e do percurso de um colaborador numa empresa. Mais do que tarefas, queremos partilhar uma visão e uma forma de estar com quem vem trabalhar connosco. Procuramos pessoas otimistas, com sentido de humor, positivas, eficientes e que valorizem as opiniões do grupo. Esses são aspetos que conseguimos apurar numa dinâmica de grupo de forma muito mais prática do que apenas numa entrevista individual.

 

Estes são alguns dos aspetos que temos em consideração quando observamos os candidatos numa dinâmica de grupo:

  • Apresentação
  • Postura
  • Aspetos comportamentais – se é líder, conciliador, oportuno, se sabe trabalhar em equipa, se é criativo, se sabe escutar
  • Expressões/Atitudes de comunicação – que tipo de linguagem usa, se tem capacidade de argumentação
  • Expressão visual
  • Enquadramento no espírito PHC – se partilha os valores PHC DNA. Como já referimos, este é aspeto fundamental no nosso recrutamento.

 

Além do que procuramos especificamente na PHC, há uma série de aspetos genéricos que qualquer recrutador tem em conta numa entrevista de grupo. Enquanto candidato, quanto mais conhecimento tiver acerca do que um recrutador avalia quando observa uma dinâmica, mais preparado e seguro se sentirá durante a dinâmica de grupo.

 

Aqui ficam algumas dicas para o seu sucesso numa dinâmica de grupo:

 

Conheça-se bem

Para sentir algum controlo sobre a situação, é importante que se conheça bem. Tal como acontece numa entrevista individual, prepare-se, fazendo uma retrospetiva do seu percurso profissional. Faça uma lista dos seus pontos fortes, valores, áreas a melhorar e principais metas alcançadas a nível pessoal e profissional. Normalmente, as dinâmicas começam com um exercício rápido em que cada um dos participantes se apresenta de forma sucinta. Para não bloquear, é importante que treine uma apresentação apelativa e que resuma de forma rápida quem você é. Peça ajuda a familiares e amigos, treine em frente ao espelho e pratique bastante até se sentir seguro.  Não se trata de decorar um texto, mas de ter as ideias “na ponta da língua” de forma a evitar brancas, que só o vão deixar mais nervoso para os exercícios da dinâmica.  Sobretudo, não se esqueça de sorrir.

 

Conheça a empresa

Quanto mais souber sobre a empresa e, se possível, sobre o entrevistador, melhor se destacará dos outros candidatos. Consulte o site da empresa, redes sociais e notícias para ficar a conhecer melhor a realidade do mercado e da própria empresa. É bem possível que alguns exercícios da dinâmica estejam relacionados com uma situação real ou hipotética da empresa e mostrar conhecimento, vai fazer com que sobressaia e capte a atenção do entrevistador.

 

Vista-se de modo apropriado

A pesquisa inicial vai possibilitar-lhe perceber melhor qual a cultura da empresa e adequar a roupa que escolher para a dinâmica a essa personalidade corporativa. Perceba se a empresa é criativa e familiar ou mais “séria” e formal.

 

Não tente ser quem não é

Já aqui dissemos que cada dinâmica tem objetivos muito claros. Uma pode estar à procura de um líder altamente confiante e extrovertido, e outra procurar candidatos com capacidade de foco e que trabalhem bem em equipa não procurando protagonismo. Imagine que é do tipo reservado e que gosta de trabalhar sozinho em tarefas que exigem uma grande dose e concentração, mas que tenta fingir que é uma pessoa muito extrovertida e sociável. Quem lhe diz que a empresa não está à procura de um profissional com as suas caraterísticas? Ao fingir ser quem não é, está a desperdiçar as suas oportunidades à toa. Lembre-se que se for sincero e não for escolhido, é simplesmente porque não tem o perfil que a empresa procura. Nesse caso, há que continuar à procura da empresa e função adequadas ao seu perfil.

 

Participe e mostre interesse

Basta um pequeno aceno de cabeça ocasional para mostrar ao entrevistador ou aos outros participantes da dinâmica que está a ouvir e que está atento ao que se passa. Mostre-se entusiasmado com as perguntas e desafios que lhe são propostos.

A dinâmica de grupo dura, em média, de uma a duas horas. É esse o tempo que o recrutador tem para avaliar todos os candidatos e a ferramenta que usa para essa análise são as atividades que compõem a dinâmica. Por isso mesmo, se você não abre a boca, ninguém vai adivinhar as suas capacidades! Faça uma boa gestão do tempo. Aproveite para se mostrar de forma a que os recrutadores percebam que tem o potencial para a função. Faça ouvir a sua voz. No caso de ser tímido ou não estar habituado a falar em frente a muitas pessoas, faça um esforço e evite a tentação de ficar calado durante toda a sessão. Ninguém o conhece ou sabe se é fechado ou extrovertido, por isso, aproveite para intervir de forma pertinente e que demonstre que o seu contributo é valioso.

 

Não interrompa os outros candidatos 

Uma coisa é ser pró-ativo, mas outra bem diferente é ser mal-educado ou pretensioso. Os entrevistadores querem perceber as suas competências comportamentais e se podem contar consigo para trabalhar em equipa. Mostre que sabe trabalhar em equipa, que é um bom colega e que é empático e, sobretudo, que sabe ouvir deixando os outros participantes terminar o que estão a dizer e só depois argumente, se necessário integrando ideias que já foram apresentadas por colegas do grupo.

 

Confie em si

Não se deixe intimidar. Acredite em si, no seu valor enquanto profissional e no contributo que pode dar na empresa à qual se candidata. As entrevistas de grupo são um teste à sua capacidade de adaptação. Se estiver bem preparado com as dicas que aqui lhe deixámos, vai conseguir fintar os nervos e estar plenamente presente no período que dura a dinâmica. Mostre que é a pessoa certa e os recrutadores vão percebê-lo.

 

Veja também…