5 estratégias que vão fazer o seu CV destacar-se num formulário de candidatura online

Descubra como aumentar as suas hipóteses de ser chamado para uma entrevista quando submete a sua candidatura através de um formulário online.

Se nos últimos tempos tem procurado ativamente uma nova oportunidade de trabalho, já terá quase de certeza feito uma candidatura através do preenchimento de um formulário online. Estes formulários, tipicamente disponíveis na página de carreiras das empresas, são uma forma de os recrutadores pouparem tempo, agilizarem processos e padronizarem as candidaturas, e há cada vez mais organizações que, com o objetivo de melhorar os seus processos de recrutamento, utilizam software específico para este efeito.

Este tipo de ferramenta substitui os processos tradicionais (como por exemplo, o envio do CV através de um endereço de email) e simplifica o recrutamento através da utilização de uma única plataforma que é utilizada para comunicar vagas na empresa e complementada por um sistema automático de acompanhamento dos candidatos.

Como diretor de recursos humanos, chego a receber centenas de currículos por semana e sei como uma ferramenta online pode agilizar a forma com uma empresa faz esta gestão.

Mas se as vantagens são muitas para os recrutadores, também os candidatos podem beneficiar deste processo de candidatura, sobretudo se souberem tirar partido deste tipo de plataforma.

 

Saiba como aumentar as suas hipóteses de ser chamado para uma entrevista quando submete a sua candidatura através de um formulário online e conheça as estratégias que vão fazer a sua candidatura destacar-se.

 

Preencha todos os campos do formulário

Pode parecer-lhe redundante submeter o seu CV e carta de apresentação ao mesmo tempo que insere todo o histórico da sua carreira de forma manual nos questionários. Mesmo assim, não ceda à tentação de deixar campos em branco, acreditando que o que está nos documentos anexados é suficiente. Todos os campos são importantes e podem ter um papel fundamental na primeira triagem da sua candidatura: esta seleção é em grande medida feita através de palavras-chave (pensadas para cada processo em função do que se pretende para o cargo, como veremos mais à frente), pelo que deixar campos por preencher pode reduzir consideravelmente as suas hipóteses de ter a sua candidatura selecionada para análise. Além disso, deixar campos em branco passa uma imagem de desleixo e desinteresse e num processo com centenas de candidatos pode fazer toda a diferença entre continuar para a fase seguinte ou ficar pelo caminho.

 

Utilize palavras-chave

Como já referi, este tipo de ferramentas faz a sua triagem com base em palavras-chave previamente definidas. Por exemplo, se o processo é para a função de gestor de marketing digital, é provável que o sistema tenha sido desenhado para filtrar as candidaturas com as palavras SEO ou social media. Uma boa forma de perceber quais a palavras-chave que não podem faltar no seu CV, nem nos formulários de candidatura é analisar atentamente o anúncio ao qual está a responder. Perceba quais as palavras ou expressões mais importantes da descrição de função e do título e certifique-se que elas estão na sua candidatura.

 

Personalize o seu CV e carta de candidatura

Tal como deve fazer em qualquer processo de recrutamento, não deixe de personalizar o seu CV e de fazer uma carta de apresentação específica para a função a que se candidata – sim, mesmo já tendo preenchido campos com essa informação. Os questionários padronizados servem para fazer uma triagem dos candidatos, harmonizar candidaturas e otimizar os processos de gestão a cargo dos responsáveis pelo recrutamento. Mas tal não significa que o seu CV e carta de apresentação não vão ser tidos em consideração e que não sejam um dos elementos mais importantes do processo de decisão. Dê-lhes a importância devida, personalize-os a cada candidatura e utilize neles as palavras-chave presentes na descrição da função.

 

Não utilize linguagem informal ou abreviaturas

Por tratar-se de uma plataforma digital, pode pensar que lhe é permitido ser mais informal, mas lembre-se: trata-se de um processo de recrutamento. O formato da candidatura pode ser diferente, mas as regras são tão válidas para este processo, como para o tradicional. Não utilize abreviaturas, tenha cuidado com as gralhas e leia tudo o que escreve pelo menos duas vezes. Se puder, peça a alguém para rever o que escreveu. Uma boa técnica é escrever no Word usando um corretor de texto e depois copiar o que escreveu para o campo editável no formulário. Se optar por esta dica, tenha, contudo, cuidado com formatações – como os bullets ou ícones -, que não funcionam tão bem quando copiadas para estes suportes.

 

Candidate-se a vagas para as quais tem qualificações

Quando se está desempregado, é tentador responder a todos os anúncios que aparecem à frente, acreditando que isso aumenta as hipóteses de se ser chamado para uma entrevista. Esta tentação é ainda maior quando o processo de candidatura é tão simples como preencher um formulário online, anexar um ficheiro e receber uma resposta automática com as instruções para as fases seguintes. Contudo, esta não é a abordagem mais produtiva e pode mesmo levar a que uma empresa fique mal impressionada consigo no caso de já se ter candidatado a uma série de funções na mesma organização. Foque a sua candidatura e seja criterioso nas vagas a que responde. O seu tempo é precioso, tal como o dos recrutadores. Invista a sua energia nas vagas que valem mesmo a pena e nessas, sim, mostre todo o seu potencial e dê provas de que é a pessoa certa para a função.

 

Os softwares de recrutamento e as candidaturas através do preenchimento de formulários online são uma tendência em crescimento. Enquanto candidato, quanto melhor souber tirar partido destas ferramentas, mais preparado estará para se destacar na corrida ao emprego que tanto deseja.