Casa ou escritório? Na PHC temos o melhor dos dois mundos

Transformámos o normal em “better normal” e desafiámos as equipas a superarem a sua própria criatividade.
É possível manter o melhor de dois mundos? As empresas equacionam o futuro, os colaboradores adaptam-se a novas dinâmicas. Repensar é a palavra de ordem e foi o que fizemos na PHC.

A inauguração recente das instalações do Porto e a construção do novo edifício em Lisboa deram o mote para uma reflexão em que o foco assenta no bem-estar de todos. O resultado? Novos modelos de trabalho e a reinterpretação da experiência que uma empresa pode proporcionar aos seus colaboradores.

Because I’m happy

O futuro passa por um modelo híbrido que complemente o teletrabalho e transforme o tão falado “normal” em “better normal”. Um normal novo e melhorado assente na segurança de todos e onde a tranquilidade individual é o primeiro passo para tirar partido da criatividade.

Luís Antunes, human resources director da PHC, numa entrevista à revista Human, explica que “a discussão motiva a criatividade e, por isso, ela fica facilitada quando é feita em modo presencial”. Os campeonatos de matraquilhos ainda não estão de volta, mas já não falta tudo.

O “happy team day” teve início em setembro. Uma primeira etapa que tem em conta o atual paradigma e é constantemente atualizada face ao contexto do País. A cada semana de trabalho, damos um dia ao escritório, tendo em conta as normas da DGS e garantindo que não ocupamos mais de 1/3 da ocupação máxima.

Um dia destinado a complementar o trabalho remoto através da promoção de atividades de equipa e de trabalho criativo. Também o Gonçalo Andrade, fiscal specialist da PHC, ficou contente com o regresso: “Quando estamos todos juntos, a criatividade é mais partilhada.” As saudades são, aliás, um sentimento partilhado por toda a comunidade PHC.

Em casa, mais focados e mais produtivos 

O “better normal” da PHC acompanha as mais recentes tendências do mundo empresarial, onde as empresas equacionam o futuro e os colaboradores adaptam-se a novas dinâmicas. O barómetro da revista Human Resources, indica que 56% das empresas não tem dúvidas de que os modelos de trabalho flexível vieram para ficar.

Repensar é a palavra de ordem: se é verdade que as circunstâncias condicionam a decisão de um regresso ao escritório, ainda que parcial, também é possível fazer do contexto a oportunidade ideal para encontrar novas formas de beneficiar a empresa e os seus colaboradores.

Numa entrevista à PME Magazine, Ricardo Parreira, CEO da PHC, salienta que o trabalhar em casa traz inúmeros benefícios “possibilitando tempo e condições para uma maior produtividade no trabalho que requer um grande foco e reflexão; algo que, como sabemos, é invariavelmente afetado pelas distrações constantes nos escritórios”.

O escritório como espaço de cultura e criatividade

A experiência de estar na PHC, para alguns, pode ser uma experiência única. Lissette Sousa, marketing specialist da PHC, foi contratada em plena pandemia, tal como aconteceu com mais de vinte outros colaboradores:

“Ao trabalhar em casa poupo tempo na deslocação, tempo valioso que dedico a mim e à minha família. Ir ao escritório uma vez por semana ajuda a criar laços com os colegas de trabalho. É um sistema híbrido que permite as duas realidades, ter mais tempo para o desenvolvimento pessoal e, uma vez por semana, conhecer as pessoas para lá do ecrã, rir, partilhar o almoço, essas coisas incríveis que a vida do escritório permite.”

Cada equipa desenvolve as suas próprias dinâmicas, porque a criatividade é a palavra de ordem. Para Carla Nóbrega, billing and supply unit director da PHC, assegurar a sinceridade e a coesão da equipa são as suas prioridades: “A questão material é tão importante como a psicológica, é preciso ter condições para trabalhar, tanto em casa como no escritório. Quando estamos em casa, começamos o dia com uma daily meeting onde alinhamos o trabalho. Também temos um grupo de WhatsApp onde partilhamos o aniversário do nosso filho ou o bolo que fizemos no domingo passado. No dia em que nos encontramos no escritório, aproveitamos para fazer tudo aquilo que a distância não permite.”

Um por todos, todos por um

Muitas são as ações criadas na PHC para assegurar a produtividade em modelos de teletrabalho, como a plataforma de formação online Know@Speed ou acções de team coaching. Para cultivar o diálogo e o espírito da empresa, a iniciativa “Ask the CEO” acontece duas vezes por mês e a forte participação de todos faz com que seja uma iniciativa para durar. Para Luís Antunes, este é “um espaço para que, em tempo real, os colaboradores possam colocar questões sobre qualquer assunto que julguem pertinente ao nosso CEO”.

Laura Abreu, team lead da PHC, acredita que este momento na agenda é uma oportunidade para todos nos unirmos em prol de um objetivo: “Um dos aspetos que mais valorizo na PHC é a possibilidade de saber, diretamente do CEO, as novidades da empresa, o que está a ser feito e o que está por vir. Poucas organizações podem dizer o mesmo.”

O escritório continuará a ser imbatível para a atividade em equipa, fomentar a capacidade de trabalho na resolução de problemas potenciando a inteligência coletiva de uma empresa. Diálogo, superação e entrega.

Em casa, maior segurança e produtividade; no escritório, o convívio e a criatividade. O “better normal” mostrou que ter o melhor de dois mundos é possível… e todos na PHC são prova disso.