Gepack

Com o PHC Advanced CS e o PHC Manufactor Executive CS, a empresa exportadora passou a ter todo o processo de fabrico ainda mais preciso e a empresa passou a ter acesso à informação em tempo real, melhorando a tomada de decisão.

A Gepack é uma empresa que se dedica à produção de embalagens de plástico há mais de dez anos. A empresa portuguesa exporta grande parte do que produz para mais de 400 clientes, distribuídos em mais de 27 países em todo o Mundo.

A empresa tem uma das poucas salas limpas certificadas da Europa, o que lhe permite fabricar embalagens para a indústria da saúde e alimentação com toda a segurança. Após registar um grande crescimento, a empresa notou que apresentava uma lacuna tecnológica que a impedia de responder ainda melhor a todas as necessidades dos seus clientes. Ao registar este impedimento, a empresa decidiu consultar o mercado e pesquisar uma solução que lhe permitisse melhorar o controlo da empresa e oferecer o serviço a que sempre acostumou os seus clientes.

 

Solução escolhida

“A Gepack evoluiu e cresceu bastante. Mas chegámos à conclusão que não estávamos a ser o mais eficientes possível e não estávamos a dar o serviço premium que queremos dar aos nossos clientes”, revelou Rui Peneda, responsável da Gepack.

Após consultar o mercado, a empresa chegou à empresa Magnisis, que lhes apresentou as soluções da PHC, que acabaram por ser as escolhidas para colmatar a lacuna presente na empresa. A Gepack implementou então o PHC Advanced CS com os módulos PHC Gestão, PHC CRM, PHC Contabilidade, PHC ControlDoc, PHC Documentos Eletrónicos, PHC Imobilizado, PHC Intrastat, PHC Lotes e o PHC Manufactor Executive CS. “Optámos pelo PHC, um ERP que nos deu alguma confiança por fazer a gestão integrada de toda a nossa atividade, de uma ponta à outra”, apontou Rui Peneda.

Era também necessário garantir que a nova plataforma integrasse as plataformas mais antigas presentes na empresa, tanto na área de gestão financeira e administrativa, como na produção das embalagens. “A Gepack utilizava um software há alguns anos que tinha dificuldades em integrar todos os processos, desde a entrada da matéria prima até à expedição do material acabado, pelo que tivemos de ter em conta a integração de todos esses elementos no PHC”, destacou Luis Major, responsável da Magnisis.

Benefícios do projecto

Finda a implementação, a solução da PHC passou a controlar toda a atividade da empresa, o que dantes era feito manualmente. Rui Peneda dá um exemplo prático de um dos pontos que foi melhorado: “Imaginemos um cenário em que temos de fazer mil garrafas. A produção destas garrafas, não quer dizer que apenas temos de meter o material dentro da máquina, e não nos preocuparmos mais. Temos de pensar exatamente o material que vamos consumir, o tipo de paletes que vamos necessitar, as especificidades que o cliente pediu. E se pensarmos que, em cima disso, possuímos um portfólio gigante de referências, com muitas cores, torna-se muito complicado fazer uma gestão de forma manual, que era o que nós estávamos a fazer. Com a implementação do PHC, tudo ficou diferente.”

Todo o processo de fabrico tornou-se ainda mais preciso e a empresa passou a ter acesso à informação em tempo real, o que permite melhorar a tomada de decisão.

“Sabemos perfeitamente, a cada instante, o estado real da empresa. O processo de decisão é totalmente suportado e sabemos o que estamos a empacotar, ou não”, revelou o executivo da empresa. Do ponto de vista de customer care, continuou, “passámos a conseguir ter os lotes perfeitamente rastreados de uma ponta a outra, ou seja, conseguimos ir a uma prateleira de um supermercado, retirar um produto e saber toda a sua história, desde quando foi fabricado, em que máquina, com que material, e saber se foi enviado para outro cliente”. Este factor permitiu que a empresa tivesse uma maior capacidade de corrigir e evitar erros.

A Gepack tem atualmente capacidade de produzir mais de 160 milhões de embalagens de plástico ao ano, tem mais de 240 referências de garrafas, e consegue em menos de 5 semanas passar da concepção à produção do produto. A empresa vai entrar em breve em novos mercados com o mote de “fazer do plástico a verdadeira alternativa ao vidro”, contanto com o PHC para assegurar toda a sua gestão.

Setembro 2013