Open Banking: já sabe o que muda com a diretiva PSD2?

Em vigor desde setembro de 2019, a PSD2 – Payment Services Directive é a diretiva da União Europeia que vem revolucionar os serviços de pagamento. Com esta diretiva a UE procura contribuir para a criação de um mercado único de serviços de pagamento no território europeu, introduzindo em definitivo o open banking.

 

Até aqui, sempre que existia a necessidade de proceder a alguma operação à distância ou sempre que um utilizador precisava de aceder aos seus dados bancários, era necessário aceder às plataformas de cada banco, obrigando muitas vezes a saltar entre as diversas aplicações.

 

Agora, com a entrada em vigor da diretiva PSD2, os bancos são obrigados a possibilitar que o seu sistema consiga comunicar com o de outras organizações. Ou seja, têm de disponibilizar aquilo a que se chama de API – Application Programming Interface – que permite, com a devida autorização do utilizador, que as plataformas e aplicações de terceiros acedam aos dados bancários necessários para trabalharem diretamente com a plataforma.

 

Em vigor desde setembro de 2019, a Payment Services Directive (PSD2) vem revolucionar o setor bancário, já que este novo regime promove a cooperação entre instituições bancárias, startups ou fintechs. A chegada do open banking traz inúmeras vantagens, tanto para clientes como para as entidades bancárias.

 

Entre as vantagens da chegada da nova diretiva estão o aumento da transparência e da celeridade dos processos. Para além disso, os clientes passam também a deter mais controlo e acesso aos seus dados, ficando do seu lado o poder de decidir com que organizações partilha os seus dados.

 

Mas o open banking também traz consigo alguns desafios. Para que estejam alinhadas com as normas estabelecidas pelo RGPD, é importante que as entidades bancárias consigam controlar a privacidade dos dados partilhados, bem como a segurança na partilha destes mesmo dados, para que não existam fugas ou perdas de informação.

 

Mas, afinal, o que significa a PSD2 para os gestores? Para os gestores, a nova diretiva significa que vão ter ao seu dispor novas funcionalidades, capazes de tornar o seu software de gestão mais completo, automatizado e user friendly. A nova regulamentação prevê que seja possível aceder em tempo real à informação de tesouraria da sua empresa, realizar a reconciliação bancária de forma automatizada ou monitorizar recebimentos.

 

Algumas vantagens da PSD2:

Maior rapidez nos pagamentos: os pagamentos online passam a ser creditados em apenas alguns segundos na conta do fornecedor do produto ou serviço.

Mais concorrência: a PSD2 deverá impulsionar a concorrência entre os diferentes prestadores de serviços o que, consequentemente, reduz os custos para os clientes.

Integração com a loja online: já não será necessário sair do site onde se encontra para realizar o pagamento.

Reforço da segurança: a certificação obrigatória dos prestadores de serviços de pagamento significa um menor risco de fraude para os consumidores e comerciantes.

Consulta de detalhes: pode consultar detalhes como contas de pagamento, saldos ou histórico de transações.

Disponibilidade de fundos: permite verificar, em tempo real, se uma conta tem um determinado montante disponível para poder realizar um pagamento.