Que indicadores medem a sustentabilidade da sua empresa?

Falar de sustentabilidade nos negócios é falar de um desenvolvimento baseado em três vértices: o económico, o ambiental e o social. Quando combinado estrategicamente, este triângulo resulta numa atividade empresarial com impactos reduzidos no ambiente e nas comunidades, colaboradores felizes, mas também um valor acrescentado para o seu negócio. Saiba porquê e quais os indicadores mais relevantes na avaliação da sua empresa.

 

O termo é usado até à exaustão: ser sustentável, sustentabilidade empresarial, desenvolvimento sustentável… Mas o que significa, afinal, a sustentabilidade de um negócio? De modo geral, uma empresa sustentável é aquela que tem em conta, na sua atividade, as oportunidades, obrigações e riscos económicos, sociais e ambientais. Ou seja, uma empresa que apresenta um crescimento económico ético, minimizando o impacto ambiental e respeitando a comunidade.

O conceito é de tal forma amplo que a Comissão Mundial para o Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas (WCED, na sigla em inglês) resolveu explicá-lo de outro ângulo: uma empresa com um desenvolvimento sustentável é aquela “que responde às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações responderem às suas próprias necessidades”.

Já a ONU afirma, no Guia para a Sustentabilidade Corporativa do programa Global Compact, que uma empresa deve assegurar cinco aspetos para ser sustentável:

 

  1. Ter uma atuação responsável, alinhada com os princípios universais;
  2. Dinamizar ações que apoiem a sociedade;
  3. Comprometer-se com a sustentabilidade no DNA corporativo, ao nível mais elevado;
  4. Publicar relatórios anuais com os seus esforços;
  5. Incentivar um envolvimento com as comunidades locais onde estão estabelecidas.

 

Sustentabilidade económica

 O que é? Refere-se ao crescimento económico sustentado de uma empresa, com respeito pelos recursos naturais, redução progressiva da pegada ambiental dos produtos (ciclo completo) e riqueza distribuída de forma equitativa.

 

Para a avaliação puramente económica da empresa, o IAPMEI recomenda estes indicadores:

  • Fundo de maneio e respetivas necessidades;
  • Endividamento (%) e estrutura de endividamento (%);
  • Volume de negócios/passivo;
  • Liquidez geral e reduzida;
  • Rentabilidade líquida e operacional de vendas;
  • Rentabilidade operacional ativo;
  • Rentabilidade dos capitais próprios;
  • EBITDA;
  • EBITDA / Gastos Financeiros;
  • Dívida Financeira / EBITDA;
  • Valor Acrescentado Bruto.

 

Sustentabilidade ambiental

 O que é? Refere-se à minimização de impactos ambientais negativos decorrentes da atividade empresarial – com o objetivo último de criar impactos positivos. Para tal, assenta numa abordagem do ciclo de vida do produto, internalizando boas-práticas a todos os níveis da estrutura interna da empresa.

Mais do que uma estratégia de marketing, a sustentabilidade ambiental deve ser encarada como um incentivo à inovação e resiliência da empresa. De que forma? Pensemos, por exemplo, na gestão de matérias-primas: a investigação por alternativas ou modos de extração mais sustentáveis diminui a vulnerabilidade do seu negócio à escassez dos bens e/ou ao aumento de custos.

 

Exemplo de indicadores usados para medir a sustentabilidade ambiental:

  • Ciclo de vida do produto;
  • Qualidade do produto;
  • Saúde ambiental;
  • Uso de equipamento;
  • Quantidade de água usada;
  • Quantidade de energia usada;
  • Quantidade de materiais usados e reutilizados/reciclados;
  • Pegada carbónica;
  • Necessidades de transporte (medido em emissões de CO₂).

 

 Sustentabilidade social

 O que é? Este vértice espelha a relação sustentável que a empresa deve promover na dimensão humana –  internamente, mas também em benefício da sociedade e da comunidade local onde está inserida. Até porque, citando o programa Global Compact das Nações Unidas, “direta ou indiretamente, as empresas afetam o que acontece aos funcionários, aos trabalhadores da cadeia de valor, clientes e comunidades locais, e é importante gerir estes impactos proativamente”.

Pessoas felizes e comunidades mais desenvolvidas, portanto. Mas como cumprir estas metas? A sustentabilidade social implica, por exemplo, uma atividade empresarial ética e de valorização de recursos humanos, com criação de salários justos e postos de trabalho dignos, não-discriminatórios e sustentáveis. Mas também que sejam desenvolvidos programas de apoio à sociedade, respondendo aos problemas sociais das comunidades locais. Dinamiza um programa de voluntariado de colaboradores, por exemplo? Esta é uma ação que se integra plenamente no desenvolvimento da sustentabilidade social da sua empresa.

Exemplo de indicadores usados para medir a sustentabilidade social:

  • Ações de voluntariado;
  • Programas de apoio à comunidade;
  • Investimento em intervenção na comunidade;
  • Impacto social das intervenções (SROI);
  • Postos de trabalho criados;
  • Iniciativas de apoio às famílias dos colaboradores;
  • Grau de satisfação dos colaboradores;
  • Diversidade dos colaboradores;
  • Número de benefícios sociais para colaboradores;
  • Frequência do uso destes benefícios sociais.

 

A não esquecer:

Monitorize os seus indicadores

Quer implementar, com sucesso, um programa de sustentabilidade? A partir dos indicadores mais relevantes, defina objetivos concretos de evolução, com ações e calendários próprios. Estabeleça métricas para cada um dos objetivos, automatize a maioria dos processos e acompanhe a sua progressão no tempo. Assim, torna-se mais fácil fazer uma gestão do desempenho do seu negócio em tempo útil, rumo ao êxito do seu programa de sustentabilidade.