Baía do Tejo

A empresa de gestão de parques empresariais implementou o PHC Enterprise CS com vários módulos para assegurar a monitorização e gestão do seu negócio.

Enquanto referência na gestão de parques empresariais, a Baía do Tejo necessitava gerir de forma integrada todas as aplicações inerentes ao seu negócio para garantir o controlo, centralização e eficiência global da sua atividade.

A Baía do Tejo, SA é uma empresa que resultou da fusão por incorporação da SNESGES – Administração e Gestão de Imóveis e Prestação de Serviços, SA e da URBINDÚSTRIA – Sociedade de Urbanização e Infraestruturação de Imóveis, SA na QUIMIPARQUE -Parques Empresariais, SA, empresas que geriam as áreas da antiga Siderurgia Nacional no Seixal, e do Parque Industrial do Seixal. A empresa agora criada tem como missão continuar a gestão e desenvolvimento destes territórios, agora com uma gestão coordenada de modo a contribuir também para o sucesso do Projeto do Arco Ribeirinho do Sul.

O sistema existente não permitia cumprir estes objetivos de integração, flexibilidade e adaptabilidade devido à reorganização da empresa e à sua dispersão geográfica insuficientes. Era então necessária uma mudança de paradigma com a implementação de uma solução completa de ERP.

Solução escolhida

O processo de aquisição passou por uma consulta ao mercado, tendo sido observadas e analisadas diferentes soluções nacionais e internacionais. A avaliação das propostas foi realizada com base em critérios exigentes e variados. Após analisar todas as propostas, a oferta que englobava a implementação de soluções PHC, apresentada pela Winsig, foi a que melhor respondeu a todos os desafios da empresa. O projeto passou pela implementação do PHC Enterprise CS, com os módulos PHC Gestão CS, PHC Contabilidade CS, PHC Pessoal CS, PHC Imobilizado CS, PHC ControlDoc CS, PHC Suporte e PHC SHST CS.

Com a duração de 5 meses, o projeto envolveu 15 colaboradores da Baía do Tejo e uma equipa da Winsig composta por 5 consultores. Foi ainda nomeado um Comité de Projeto, com presença do cliente e do implementador, com a responsabilidade de acompanhar o projeto, dar feedback ao longo de toda a implementação e assim garantir que o resultado final era efetivamente o esperado. A solução tem atualmente 35 utilizadores repartidos por 3 locais diferentes.

Benefícios do projeto

Uma vez que a cobertura funcional do projeto abrange todos os setores da Baía do Tejo, acrescentando valor ao trabalho de cada um e da própria organização, os principais benefícios passam pela simplificação dos processos de trabalho, pela melhoria do desempenho dos colaboradores e pelo controlo a 360º do negócio da empresa. A opção pela cultura “less paper” contribuiu igualmente para uma imagem amiga do ambiente, um desígnio da Baía do Tejo.

A solução integrada proporcionou ainda a reorganização de conceitos e modus operandi dos vários departamentos, a melhoria da comunicação interna e a minimização da dispersão geográfica através da simplificação de processos.

Paulo Nunes, Diretor de Informática da Baía do Tejo, sublinha que, com esta ferramenta, “demos um salto muito importante na gestão e monitorização do nosso core business, uma vez que a solução PHC apresentou-se como um recurso perfeitamente flexível e adaptável às especificidades da Baía do Tejo”. O executivo conclui referindo que “foram obtidos todos os resultados a que todos se propuseram.”

Outubro 2013

Artigos Relacionados